Lenda de Santa Aurélia – Sobral de Monte Agraço

lenda de sobral de monte agraço

Viveu em tempos numa aldeia entre Sobral de Monte Agraço e Arruda dos Vinhos uma jovem virtuosa, de nome Aurélia, que, sendo ainda solteira, apareceu grávida.

Não acreditando os pais na sua pureza e não suportando a vergonha que cairia sobre a família se tal se soubesse, tentaram esconder a situação por meios extremos, mandando decapitar a filha desonrada.

Morta, enterrada, esquecida, assunto encerrado.

Mas, uns meses mais tarde e passando um grupo de populares junto ao muro do Cemitério de Sobral de Monte Agraço, estes ouviram o choro de uma criança pequena. Entrando no dito recinto, deparou-se-lhes um espectáculo tenebroso: Aurélia jazia morta junto à sua campa e, a seu lado, o seu filho recém nascido, gritava a plenos pulmões.

A desgraçada Aurélia passou então a ser Santa e os seus restos mortais transferidos para a Matriz de Sobral de Monte Agraço, onde começou a ser venerada por muito milagrosa. Seu filho foi devolvido aos avós arrependidos e maravilhados com o milagre.

Mas a história de Aurélia Santa não acaba aqui.

Tempos depois, 3 homens descrentes de santidades, entraram na Igreja, roubaram a cripta de Aurélia e, atando-a a uma carroça, arrastaram-na até que se despedaçasse. Para terminar, colocaram à frente da Igreja da Senhora da Salvação em Arruda uma cesta com palha e uma malga com água.

E eis que, pouco depois, caem doentes.

E o povo logo o soube porque um ladrava, outro zurrava e o terceiro balia.
E assim morreram pouco depois.

O que ficou da pobre Santa voltou para a Igreja de Sobral, donde mais ninguém se atreveu a retirá-la.

Era impura, ficou Santa / Aurélia que ali jazia. / A sua virtude era tanta / Que os três que a profanaram / Um zurrava, / Outro ladrava / E o último balia.

Previous ArticleNext Article

This post has 2 Comments

2
  1. A Santa Aurélia a Petronilha que se venerava em Sobral de Monte Agraço onde ainda estão as suas relíquias na Capela que foi da Casa Sobral e hoje Igreja paroquial. O Corpo veio de Roma para o Palácio do Calhariz e quando a Capela dos Sobrais se concluiu foi feita a trasladação do Corpo para o Sobral onde era adorado numa câmara poi debaixo de um altar com uma moldura de cristal.
    Fora degolada. A cabeça ficou em Roma o corpo tinha uma cabeça de cera. A seu lado estava o feto de uma criança. Existem os documentos relativos às transladações das catacumbas para o Palácio do Calhariz e daí para o Sobral. A palermice desta lenda a que aludem veio de um trabalho em que o Sr. Doutor da UN de Lisboa pediu lendas locais às professoras suas alunas e estas às crianças.
    A avó de uma misturou a história da transferência do Concelho de Arruda para o Sobral em 1897 com o assalto à Igreja do Sobral em 1918 na véspera das exéquias do Afonso Costa e o resto da Historieta que é recente.Eu mesmo expliquei isso à mãe da criança quando vieram à Igreja do Sobral. O Corpo foi profanado bem como os vasos sagrados e partidos todos os Santos nesse assalto. O que resta da Santa e do feto estão numa urna de vidro ao lado do altar da Santa que hoje apenas tem um grande Crucifixo.
    Eu chamo a isto fazer antropologia à secretária sem levantar o rabo da cadeira.

    1. Caro Amílcar, uma lenda é apenas uma história.
      Nunca foi minha intenção fazer antropologia caseira.
      Pesquisei o que tinha (literatura e internet) e contei uma história que achei interessante de um local interessante.
      O que é pena é que esses dados de que me fala não estejam facilmente disponíveis.
      Pessoalmente, gostava de saber mais sobre o assunto.
      Cumprimentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.