Ao encontro de Édipo em terras de fumeiro

Quando falamos em Lamego lembramo-nos logo do presunto ou do escadório do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, mas há outros verdadeiros tesouros por descobrir e alguns encontram-se no Museu de Lamego.

No antigo Paço Episcopal há 18 tesouros nacionais à nossa espera, dos painéis de azulejos do século XVII à arca tumular do século XIV, mas hoje a nossa atenção centra-se em Édipo e na sua história contada em quatro panos. Um tema de que não se conhece outro caso na tapecaria ocidental.

Feitos pelo mestre flamengo Bernard van Orley nas oficinas de Pieter Aelst entre 1525 e 1530, os quatro panos contam-nos a história de Édipo a partir da obra de Sófocles.

Sabendo por um oráculo que morrerá às mãos do seu filho recém-nascido, o rei Laio manda matar a criança que é salva por pastores. Édipo é recolhido pelos reis de Corinto ainda criança e anos mais tarde vai a Tebas onde conhece Jocasta, a sua mãe, por quem se apaixona. Édipo acaba por assassinar Laio, sem saber que é o seu pai, casa-se com Jocasta e torna-se rei de Tebas. Anos mais tarde, Jocasta descobre a verdade sobre o seu amor proibido e suicida-se. Édipo fura os seus próprios olhos e parte para o exílio.

É o drama no seu melhor e toda a história está nas tapeçarias do Museu de Lamego.

Previous ArticleNext Article

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.